terça-feira, 2 de abril de 2019

Tristeza do Jeca, Paula Fernandes, com Renato Teixeira e Sérgio Reis

paula fernandes


Paula, Renato e Sérgio já foram destaques aqui no Blog em várias publicações, e
por este motivo dispensam nossas apresentações no destaque de de hoje, que
traz um clássico da  Música Regional do Brasil: Tristexa do Jeca, uma
composição de Angelino de Oliveira. E nesta publicação, um vídeo
do trio destes três grandes ícones da Música Regional que é
uma constatação da perenidade da boa Música Brasileira.

Se optarem por mais exemplos, basta clicarem nos links
abaixo para serem conduzidos à outras  publicações com mais
exemplos de riqueza da Música Sertaneja Brasileira com segurança:
"Sensações" - "Raízes" - "Boiadeiro Errante".   Certeza que  irão gostar.





Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 




Nestes versos tão singelos minha bela meu amor
Pra você quero contar o meu sofrer e a minha dor
Eu sou como um sabiá quando canta é só tristeza
Desde o galho onde ele está

Nesta viola eu canto e gemo de verdade
Cada toada representa uma saudade

Eu nasci naquela serra num ranchinho beira-chão
Todo cheio de buracos onde a lua faz clarão
Quando chega a madrugada lá no mato a passarada
Principia um barulhão

Nesta viola canto e gemo de verdade
Cada toada representa uma saudade

Lá no mato tudo é triste desde o jeito de falar
Pois o Jeca quando canta dá vontade de chorar
E o choro que vai caindo devagar vai-se sumindo
Como as águas vão pro mar

Nesta viola canto e gemo de verdade
Cada toada representa uma saudade

Eu sou como um sabiá quando canta é só tristeza
Desde o galho onde ele está...

angelino de oliveira



fontes
imagens e vídeo: arquivo pessoal - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: arquivo pessoal e google

quarta-feira, 27 de março de 2019

Ivanete e Sua Sensibilidade

nosso paraiso, 2013




Nesta quarta postagem da série A Arte, publicamos alguns trabalhos de Ivanete.
Mas, quem é Ivanete? Ela nasceu na cidade de Viamão, Estado do Rio
Grande do Sul, onde sempre viveu.Um...(clique na imagem)

( veja a publicação completa clicando aqui )



ivanete terezinha de souza, 1958 / until current days
oil on canvas - dimensions: 30 cm x 70 cm - private collection
porto alegre city - rio grande do sul state

fonte
imagem e dados técnicos: meus arquivos
publicado por : carlos miranda (betomelodia) 

sexta-feira, 22 de março de 2019

Jorge Aragão, Termina Aqui

jorge aragão


Como guitarrista em casas noturnas e em bailes, começou sua carreira na Música na década de 1970.
Carioca de descendência amazonense, nasceu no Bairro de Padre Miguel, Rio de Janeiro no dia
01 de Março de 1949, Jorge Aragão da Cruz.  Instrumentista, cantor e compositor, autodidata
no dedilhar do  violão, do banjo e do cavaquinho aos onze anos, no bairro onde nasceu,
a mais tarde torna-se  autodidata na guitarra,  o instrumento  com o qual inicia a sua
carreira na Música. No bloco carnavalesco Cacique de Ramos, na quadra passa
a participar dos pagodes apresentando suas composições e paralelamente
formando com vários sambistas o grupo  Fundo de Quintal, onde ficou
como integrante  de 1978 até 1981.  No ano seguinte, carreira solo.

E assim,  sua carreira solo, fora das rodas de Samba e Pagode, foi
uma tendência a pesquisar, explorando novos estilos mas seguindo as
características dos grandes Mestres do Samba,  como Monarco, Candeia e
outros mais. Em 1976, quando "Elza Soares" gravou sua composição "Malandro",
em parceria com Jotabê, veio o reconhecimento como compositor.  Grandes nomes
do mundo do Samba incluem atualmente as canções de Jorge Aragão em seu repertório.


(clique nos links acima, "Elza Soares" e "Malandro",  e assistam a mais dois videoclipes)




Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 




Meu amor se fosse assim bem calmo e mais sereno
Seria bem melhor pra mim um sorriso mais ameno
Nosso amor está pequeno cada vez mais dispersivo
O ciúme é um veneno não se encontra lenitivo

Se entre nós houvesse a paz dos bons casais sem receio sem conflitos
Acredito que haveria mais amor sem nossos gritos tão aflitos de pavor
Mais calor na relação mais desejo de viver mais pureza mais prazer mais amor mais união
Mas não deu termina aqui eu vou partir mas não deu termina aqui sofreu sofri
Mas não deu termina aqui...

Meu amor se fosse assim bem calmo e mais sereno
Seria bem melhor pra mim um sorriso mais ameno
Nosso amor está pequeno cada vez mais dispersivo
O ciúme é um veneno não se encontra lenitivo

Se entre nós houvesse a paz dos bons casais sem receio sem conflitos
Acredito que haveria mais amor sem nossos gritos tão aflitos de pavor
Mais calor na relação mais desejo de viver mais pureza mais prazer mais amor mais união
Não deu termina aqui eu vou partir mas não deu termina aqui sofreu sofri
Mas não deu termina aqui pra que mentir mas não deu termina aqui


jorge aragão



fontes
imagem e vídeo: arquivo pessoal - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: arquivo pessoal / google

terça-feira, 19 de março de 2019

Meus Escritos - Textículos



..." palavras e palavras, que conforme dispostas em frases curtas ou longas, nos levam a questionar a existência "...






carência.
..." e então não mais havia amor, apenas a necessidade de presenças em tua solidão.
e assim quando sentias necessidade de ser ouvida, era a ele que procuravas.
ele te escutava sentindo tua solidão, mesmo em sua ignorada constante presença,
pois seu amor era mais intenso e terno que tua existencial carência "...


sincero.
"... amo o que é inexato, em busca da exatidão.
idolatro a beleza em si, mesmo que horrível seja à todos.
talvez, seja eu um tolo, por ser sincero mentindo ..."


obstáculos.
..." o simples ato de viver, creio ser apenas uma opção entre várias escolhas e suas consequências,
então ponderes teus atos...
se por acaso resultarem em erros, corrija-os, recomeça, pois vencer obstáculos é
o caminhar para a evolução "... 


máscara.
..." extremo cuidado ao remove-la, pois talvez não saibas lidar com os motivos pelos quais a usa...
e não os faltam em nossa vida, indo de uma esperança frustada, sonhos desfeitos, raiva, tristeza, dor,
feridas profundas, lágrimas, falsas e nefastas "amizades", tudo resultando em um coração em pedaços "... 


sombra.
..." e ele, pés descalços, passos lentos, caminhava sobre a fina areia da praia em sua busca...
porque estava aqui... o que fizera para merecer o pesar que o assolava naquele paraíso...
urgia saber quem era e para tanto, revivia momentos em muitas imagens...
mas lembranças só traziam certeza que só após saber quem havia sido, teria paz...
concluiu que, simplesmente, era a sombra de suas memórias "...


sonhos.
..." iniciamos nossas vidas colhendo mas com o passar do tempo, devemos aprender a semear,
colher, e então dividir os frutos colhidos, pois assim nosso viver será a realização de muitos sonhos "...


saudade.
..." em nosso viver, superficial é tudo que apenas matéria o é, portanto
somente amor, harmonia e paz é o que nos fará feliz, é o que realmente importa então,
diga não ao sentimento chamado saudade "...


tentar.
..." somos eternos e assim como os acertos, erros são parte essencial
em nosso processo evolucionário. portanto jamais será tarde para novamente tentar "...


partir.
..." vim de longe, muito longe no tempo e na busca
descobri aos poucos que sou aquele que ama seguir
talvez, apenas adiando o momento de partir "...


noite.
..." publicou a "primeira expedição", salvou seus arquivos, e recolheu o teclado, desligando
em seguida o monitor;  levantou de sua poltrona, olhou para seu pequeno mundo e
apagando as luzes,  apagou a si e as suas memórias  até a manhã seguinte "...


busca.
..." voe, voe em busca de teus mais profundos desejos.
voe, mas por vezes ponha teus pés no chão, coração e mente no amor.
voe, olhos aguçados guiando-te na busca, para que ao final não te magoes "...


lágrima.
..." solitária, triste e fria, brota em seu olhar.
mas ele é forte, ele não a verte, silenciando-a em sua solidão "...


paixão.
..." languidamente espero você chegar, e ao chegar, com força me abraçar.
então, viajamos por um mundo de formas e cores surreais,
amamos loucamente, perdidos e irremediavelmente, loucos.
e na despedida, ao você partir, ainda preso pela paixão me ato à você.
apenas esperando sua volta "...


luz.
..." desejo que tenhamos dias em que a luz seja nossa guia, mas...
não podemos esquecer que assim como a luz nos permite ver, seu excesso nos ofusca,
não nos deixando ver com lucidez "...


vida.
,,," superações? aventuras? sucessos? amores? ou simples comédias?
ainda não sabemos.
talvez trajetórias errantes, contínuos dramas ou ainda,
mudanças, ou monotonia da não mudança "...


fontes
imagem: google - textos: carlos miranda (betomelodia) 
meus escritos - arquivo pessoal