sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Eu Preciso Dizer Que Te Amo, Cássia Eller

cassia eller

Cássia Eller nos deixou em 29 de dezembro de 2001,
após ter sido internada em um hospital no Rio de Janeiro.
Ela foi admitida em um estado delirante,  murmurando
palavras incoerentes. Sofreu uma série de ataques
de coração e um inquérito policial concluiu que, os ataques
foram  causados por uma condição cardíaca e não por
consumo de drogas, como alguns boatos alardeavam.

Aos 39 anos, deixou um filho cuja custódia foi assumida
por seu companheiro. Cássia Eller mantem um dedicado número
de fãs, no Brasil e no mundo e sua popularidade após sua
morte, inoportuna e precoce, tem continuado a crescer.

Sua música continua divulgada diariamente em várias rádios
brasileiras e seus CD's são destaques em vendas. Uma
edição de vídeo de Ivanete Souza nos traz Cássia Eller cantando
Eu Preciso Dizer Que Te Amo, autoria de Cazuza,
Dé e Bebel Gilberto.


carlos miranda (betomelodia) 


video


Quando a gente conversa
Contando casos besteiras
Tanta coisa em comum
Deixando escapar
Segredos

E eu não sei
Que hora dizer
Me dá um medo
É que eu preciso dizer
Que eu te amo
Te ganhar ou perder
Sem engano
Eu preciso dizer
Que te amo tanto

E até o tempo passa
Arrastado
Só prá eu ficar
Do teu lado
Você me chora dores
De outro amor
Se abre e acaba comigo
E nessa novela
Eu não quero
Ser seu amigo

É que eu preciso dizer
Que te amo
Te ganhar ou perder
Sem engano
Eu preciso dizer
Que te amo tanto

Eu já nem sei
Se eu tô me estorando
Eu perco o sono uh! uh!
Lembrando cada gesto teu
Qualquer bandeira
Fechando e abrindo a geladeira
A noite inteira

Eu não sei
Em que hora dizer
Me dá um medo
É que eu preciso dizer
Que te amo
Te ganhar ou perder
Sem engano
Eu preciso dizer
Que te amo tanto
Tanto


cazuza / dé / bebel gilberto 




fontes
imagem: google - edição de vídeo: ivanete (iva souza) - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Destino







Em suas mais remotas lembranças,
ele recordava a busca pela liberdade, fugidia e
utópica liberdade em uma desprezada
existência, inútilmente vivida para aqueles que
ele tanto havia amado. Tentando achar sua liberdade
na deles, aprisionou-se em uma gaiola de
frustações e sem tempo para viver,
seu cantar morreu, seu coração se feriu.

Hoje, com o olhar perdido na imaginação, só
lhe restam sonhos não realizados a desfilar em
calma solidão, inútil solidão, onde na
liberdade do vento ele voa, abrindo portas com
imensa paz estampada em seu triste olhar,
observando em silêncio, participando
sem se fazer notar, na tentativa
de mudar seu destino.

carlos miranda (betomelodia)



fontes
imagem: google - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Vento no Litoral, Legião Urbana



Todas as pessoas que já ouviram as músicas
da banda Legião Urbana, principalmente as "clássicas"
e mais penosas como Será, Metal Contra as Nuvens,
Faroeste Caboclo, Tempo Perdido, Há Tempos e outras mais,
conseguem fazer uma interpretação pessoal.
Mas sempre há algumas similaridades quanto aos
sentimentos provocados, em todos que já ouviram e
apreciaram as músicas da banda quando se discute
a temática ou a moral das letras.

legião urbana

A tristeza, a abnegação, auto-contentamento quanto
à algo perdido ou irrecuperável, visão triste
quanto à perspectiva de futuro, sempre foram presentes
na maioria das músicas e álbuns do grupo. Há entre os fãs
um sentimento controverso de reflexão, alegria e de
coragem ao se ouvir e tentar fazer entender ou decifrar
as letras da banda, algo como se as letras quando foram
escritas fossem direcionadas à vida de todos os
brasileiros, mas como se desde os anos 80, passando
pelos anos 90 e até hoje, são constantes as mudanças no
nosso cotidiano, ainda assim as músicas impressionam.


renato russo

É exatamente essa a maior temática da banda, o
impressionismo individual, como se as letras fossem
escritas e contadas buscando algo comum a quase todos
que as ouvem, mas de absorção e assimilação
de acordo com a realidade de cada um.

Ilustrando esta página, um vídeo editado por Ivanete Souza, 
trazendo-nos Renato Russo em Vento no Litoral.

carlos miranda (betomelodia)


video



De tarde quero descansar
Chegar até a praia e ver
Se o vento ainda está forte
E vai ser bom subir nas pedras sei
Que faço isso prá esquecer
Eu deixo a onda me acertar
E o vento vai levando
Tudo embora

Agora está tão longe vê
A linha do horizonte
Me distrai
Dos nossos planos
É que tenho mais saudade
Quando olhávamos juntos
Na mesma direção
Aonde está você agora
Além de aqui
Dentro de mim

Agimos certo sem querer
Foi só o tempo que errou
Vai ser difícil sem você
Porque você está comigo
O tempo todo
E quando vejo o mar
Existe algo que diz
Que a vida continua
E se entregar é uma bobagem

Já que você não está aqui
O que posso fazer
É cuidar de mim
Quero ser feliz ao menos
Lembra que o plano
Era ficarmos bem...

Ei ei ei ei ei!
Olha só o que eu achei
Hum! Hum! Hum! Hum!
Cavalos-marinhos

Sei que faço isso
Prá esquecer
Eu deixo a onda me acertar
E o vento vai levando
Tudo embora

renato russo




fontes
imagens: google - edição de vídeo: ivanete (iva souza) - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

sábado, 23 de agosto de 2008

Ipanema - Minha Cidade Natal



Sempre tive vontade de divulgar,
mostrar os espaços nos quais passei minha infância
e adolescência em minha cidade natal,
Rio de Janeiro.
 Nunca fiquei satisfeito com o que escrevi,
com minhas descrições, pois não conseguia
dar a impressão exata da enorme importância
que esses lugares, muitas vezes
desconhecidos da quase totalidade dos cariocas,
possuem, não só em beleza ou tradição,
mas em termos históricos. Sempre me faltavam dados
confiáveis em minhas rápidas pesquisas.
Navegando pela web encontrei o que tentei fazer,
da maneira que sempre desejei mostrar
minha maravilhosa cidade e assim,
vou transcrever para vocês esse bonito trabalho
de pesquisa e divulgação que revelou
a mim alguns lugares que, também eu desconhecia.

carlos miranda (betomelodia)





ipanema nos anos de 1920

Na cidade de Rio de Janeiro, Cidade Maravilhosa,
entre a beleza da Lagoa Rodrigo de Freitas
e o Oceano Atlántico, existe um lugar que é hoje
uma das mais valorizadas áreas urbanas do País.
Vamos voltar no tempo e saber um pouco mais
sobre a origem e o desenvolvimento deste lugar,
que é referência mundial quando se fala em Brasil,
revelando uma breve história sobre Ipanema, que 
em tupi-guarani significa "águas perigosas".


ipanema nos dias atuais

Era habitada pelos índios Tamoios ao chegarem
os colonizadores. Era, pois os índios foram
dizimados pelos portugueses por volta de 1574,
que ali instalaram o Engenho Del Rei.
Sebastião Fagundes Varela, recebeu o engenho
e as terras que dele faziam parte por volta
de 1608, mudando o nome do lugar para Engenho
Nossa Senhora da Conceição. Porém o empreendimento
acumulou prejuízos por mais de 200 anos,
até ser leiloado por Dom João VI, por volta 1808. 
Conhecida como Praia de Fora, as terras mudaram de
dono por muitas vezes, sendo então compradas pelo
comendador Francisco Fialho e herdadas por seu filho,
José Antônio Moreira Filho em 1886.
Ele era conhecido como Barão de Ipanema.
As terras, um imenso areal quase sem valor, eram
parte da Fazenda Copacabana e só podiam ser
acessadas à pé ou de canoa.



planta do loteamento leblon e ipanema

Em 1884, com várias ruas e praças já planejadas,
já surgia a Villa Ipanema, com seus lotes
colocados à venda.Dois anos antes, 1892,
entrou em funcionamento uma linha
de bondes, com tração animal e sobre trilhos
de madeira, entre Botafogo e Copacabana, percurso
ampliado até o Posto 6, em 1894, quando então o
Barão aproveitou e estendeu a linha até Ipanema.
Com o problema de acesso resolvido, o Barão vendeu as
suas terras e Ipanema cresceu, apesar de um pouco
afastada da cidade.


ipanema, entre o atlântico e a lagoa rodrigo de freitas

Foi na década de 60 que Ipanema começou a se destacar.
O advento da Bossa Nova, da Banda de Ipanema, da
projeção de Leila Diniz no cenário carioca, fez com
que Ipanema passasse a ser exportadora de modismos
e sua projeção nacional e internacional começou.
Surgiram, nos anos 70, as controvertidas
"dunas do barato", encontro da geração "desbunde",
nos anos 80, o Circo Voador e a partir de então, Ipanema
não parou de criar fatos marcantes como os verões
"da lata" e o "do apito", além de se tornar centro
da moda, das griffes mais badaladas.


ipanema, vista da ponta do arpoador

Palco do Tropicalismo, do tablóide Pasquim,
da Garota de Ipanema cantada em verso e prosa,
do biquini, da tanga, do top-less e de muitos
outros movimentos culturais, Ipanema não deve
ser descrita. Deve ser vista, admirada, ouvida, cheirada,
absorvida por todos os nossos sentidos,
para então ser entendida.


ipanema ao entardecer


fontes
imagens: google - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Dia de Domingo, com Gal Costa e Tim Maia



Dois ícones da Música Popular Brasileira.
Gal, com sua voz única, inconfundível, que a tantas
gerações vem encantando. Tim,  temperamental,
dono de um enorme talento que usa ao interpretar
as músicas que estão nos corações dos brasileiros.
Juntos, simplesmente um maravilhoso show.

















gal costa e tim maia


Nesta postagem, um dueto romantizado pela dupla, Gal e Tim,
que dão um show de interpretação, nesta composição
por muitos considerada um dos clássicos da
Música Popular Brasileira.
E completando o show, belas imagens que ilustram o
vídeo editado por Ivanete Souza.

carlos miranda (betomelodia)


video


Eu preciso te falar
Te encontrar de qualquer jeito
Prá sentar e conversar
Depois andar
De encontro ao vento

Eu preciso respirar
O mesmo ar que te rodeia
E na pele quero ter
O mesmo sol que te bronzeia

Eu preciso te tocar
E outra vez te ver sorrindo
E voltar num sonho lindo

Já não dá mais prá viver
Um sentimento sem sentido
Eu preciso descobrir
A emoção de estar contigo

Ver o sol amanhecer
E ver a vida acontecer
Como um dia de domingo

Faz de conta que ainda é cedo
Tudo vai ficar por conta da emoção
Faz de conta que ainda é cedo
E deixar falar a voz do coração


michael sullivan / paulo massadas




fontes
imagens: google - edição de vídeo: ivanete (iva souza) - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Uma Postagem Nada Agradável



Assim como a Internet pode trazer-nos momentos
agradáveis, por vezes traz-nos também o oposto, com
fatos muito além de nossa compreensão.
Vejam só. Comentário por mim enviado à
"renata maria parreira cordeiro", em 16/08/08,
( http://wwwrenatacordeiro.blogspot.com/ )
por sua resenha do filme
Sonny, O Amante.

" olá, renata...
resenha perfeita e um belo poema.
tenha um bom domingo e uma ótima semana...
beijos em seu coração... "



O E-mail recebido, 17/08/08,
em resposta ao meu comentário de 16/08/08.
Como uso a moderação de comentários em meus blogs,
todos os comentários recebidos eu os arquivo
em pastas, no presente caso, em sua pasta, "renata".


" Beto:
Você viu Batman, o Cavaleiro das Trevas? Se não viu, vá vê-lo.
Há uma personagem que se chama 2 caras e que
poderia muito bem ser interpretada por vc.
Mas, pensando bem, não poderia. Pois o rapaz tem
uns 40 anos, é bonito, esguio, e vc já passa dos sessenta
e é gordo. Mas no caráter vcs são iguaizinhos.
Quando ele fica com o rosto deformado, parece que
a sua alma fica estampada no rosto.
Cuidado para não se machucar.
Vá dar beijos no coração de pessoas de quem vc gosta,
renata "



Minha resposta à você, por seu E-mail,
para que todos realmente a conheçam,
aqui torno pública.






"renata" ! Quanta agressividade !
O que houve ?
Será que sua "doença" afetou também o seu cérebro?
Sou betomelodia e não a pessoa a quem se refere
no comentário sem nexo com que me brindou,
pois tenho 62 anos, 1,70 mts, peso 65 quilos e
creio, ainda, não ser gordo... (risos).

Sempre tive muita admiração, consideração mesmo,
por você e seu trabalho, mas creio que
tais palavras a meu respeito, demonstram uma
total falta de caráter e honradez de sua parte, baixando-lhe
a um nível que eu não a julgaria pertencer.

Nunca julgo as pessoas, não as ofendo, acredito nelas
e sempre as promovo por suas habilidades artísticas
não esperando nada, nada mesmo em troca, nem elogios e
tampouco agradecimentos, faço-o por achar que as pessoas a
quem promovo, merecem ser vistas, conhecidas e
admiradas por sua arte, por seu caráter mas,
por vezes, me engano em minhas escolhas e hoje,
sou obrigado a responder aos seus insultos injustificáveis.

Para mim, mal educada "renata",
esta foi uma nova e válida experiência em anos que
atuo como editor de três blogs, sem qualquer 
problema ou comentário desse nível, sem jamais ter
ofendido alguém ou ser ofendido por seja lá quem for.
Parabéns, pois você foi a primeira a fazê-lo.

Assim como você já destratou uma nobre senhora,
editora de um excelente blog em seus comentários,
pedindo-me em seus mails que eu tomasse partido em seu favor,
o que educadamente recusei por serem inverossímeis
tais acusações à ela; assim como por diversas vezes relatou
à mim em seus mails, sofrer todo tipo de
perseguições de parte de vários internautas
com ciúme de seu trabalho e de suas amizades;
assim como você me escreveu dizendo ter recebido
vários E-mails de pessoas que declaradamente nutriam
dúvidas à respeito da veracidade de sua "doença",
agora me elegeu como nova ameaça ao seu
íntegro trabalho e com estranha atitude, me tornou
alvo para seus comentários incoerentes.
É Ibope o que você quer, "renata"? 
Mesmo assim, continuo admirador de suas resenhas sobre
os filmes e continuarei a visitar seu domínio,
pois mesmo não entendendo o porque de tal mudança
em sua personalidade, seu trabalho é bom.
Esperando além de suas "melhoras",
mais ética e moderação em suas observações,
não só quanto a mim, como à outros internautas também,
desejo-lhe boa sorte em sua vidinha.

E apenas mais uma pequena observação,
"renata maria parreira cordeiro",
que se diz poliglota, que bacharelado e
licenciatura em filosofia ( ??? ! ! ! ...) pela USP possui
mas, pelo exposto acima não sabe como utilizar,
o papel de duas caras, personagem do filme
Batman, O Cavaleiro das Trevas, seria melhor interpretado,
por você, pois não seria necessário nenhum tipo
de deformação facial, para se ver o mal que
ora em sua alma habita, mocinha.

Argh ! Não beijo mais seu coração. (risos)...

carlos miranda (betomelodia)




fontes
imagem: google - texto: carlos miranda (betomelodia)
base da pesquisa: google

domingo, 17 de agosto de 2008

Gostoso Demais, com Elba Ramalho e Dominguinhos

dominguinhos e elba ramalho

 Elba Ramalho homenageia Dominguinhos,
na celebração de trinta anos de amizade e trabalho.
No vídeo abaixo, editado por Ivanete Souza,
a dupla interpreta um dos grandes clássicos da música
nordestina, Gostoso Demais, uma composição
de Dominguinhos e Nando Cordel.

carlos miranda (betomelodia)


video



Tô com saudade de tu meu desejo
Tô com saudade do beijo e do mel

Do teu olhar carinhoso
Do teu abraço gostoso
De passear no teu céu

É tão difícil ficar sem você
O teu amor é gostoso demais
Teu cheiro me dar prazer
Quando estou com você
Estou nos braços da paz

Pensamento viaja
E vai buscar meu bem-querer
Não dá prá ser feliz assim
Tem dó de mim
O que eu posso fazer.

dominguinhos / nando cordel




fontes
imagem: google - edição de vídeo: ivanete (iva souza) - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Chalana, Almir Sater



Pantanal de Mato Grosso do Sul.
Daquele paraíso, só recordações de uma natureza única, de incríveis
entardeceres em que o astro rei a tudo tingia com miríades de tons, do mais
puro vermelho ao ouro.


Viajei muito por aquelas paragens. Em cada cidade da região, a bela
natureza pantaneira com sua flora e fauna deslumbrantes, fica para sempre
na lembrança dos que por lá tenham a ventura de passar. Lá, deixei
bons amigos que com orgulho revelaram-me as belezas e tradições do
homem pantaneiro, no dia-a-dia e na música regional.


almir sater e sérgio reis

Foi lá também que conheci dois grandes nomes de nossa música,
Almir Sater e Sérgio Reis, compositores e cantores que narram a vida
do homem do campo em belas letras, com um toque de nostalgia e amor
em seus cantares. Como sabem, também sou um cantador e como tal
não poderia deixar de ter incluídas em meu repertório, um pouco da poesia
do homem do campo e do pantaneiro.

O vídeo que ilustra esta postagem, é com a dupla interpretando a composição
de Mário Zan e Arlindo Pinto, intitulada "Chalana", nome da embarcação
símbolo do pantanal sulmatogrossense, com a letra pungindo o coração com
o pesar de uma triste separação.

carlos miranda (betomelodia)


video


La vai uma chalana bem longe se vai
Navegando no remanso do rio Paraguai
Ah! Chalana sem querer tu aumentas minha dor
Nessas águas tão serenas vai levando meu amor
Ah! Chalana sem querer tu aumentas minha dor
Nessas águas tão serenas vai levando meu amor

E assim ela se foi nem de mim se despediu
A chalana vai sumindo na curva lá do rio
E se ela vai magoada eu bem sei que tem razão
Fui ingrato eu feri o seu pobre coração

Ah! Chalana sem querer tu aumentas minha dor
Nessas águas tão serenas vai levando meu amor

mario zan / arlindo pinto



fontes
imagens: google - edição de vídeo: ivanete (iva souza) - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

Verde, Leila Pinheiro



Leila Pinheiro dispensa apresentações.
Considerada uma das maiores intérpretes da
Bossa Nova, abandonou o curso de medicina
cursando o segundo ano e tentou a sorte na música.
E fomos nós e a música, quem com isso lucrou.
Apesar do pouco espaço dado pela mídia à Bossa Nova,
Leila continua com um sucesso inabalável, afinadíssima e
respeitada por todos, como uma intérprete
precisa e sensível da boa Música Popular Brasileira.


leila pinheiro

Creio que foi em 1986 que incluí Verde em meu
repertório. Naqueles idos, as coisas não aconteciam
tão ràpidamente como hoje acontecem,
as novidades musicais, os novos lançamentos
demoravam um pouco a chegar ao nosso
conhecimento. Assim, tempos depois ao ouvir
com mais atenção, Leila interpretando a música
que havia ficado em terceiro lugar, no
festival produzido por uma emissora de tv no ano anterior,
gostei muito e comecei a cantá-la. À época foi e
continua sendo, um grande sucesso.

carlos miranda (betomelodia)


video



Quem pergunta por mim já deve saber
Do riso do fim de tanto sofrer
Que eu não desisti das minhas bandeiras
Caminhos, trincheiras da noite

Eu que sempre apostei na minha paixão
Guardei um país no meu coração
Um foco de luz seduz a razão
De repente a visão da esperança

Quis esse sonhador
Aprendiz de tanto suor
Ser feliz num gesto de amor
Meu País acendeu a cor

Verde, as matas no olhar
Ver de perto, ver de novo um lugar
Ver adiante, sede de navegar
Verdejantes tempos
Mudança dos ventos no meu coração
Verdejantes tempos
Mudança dos ventos no meu coração

costa netto / eduardo gudin



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google)