domingo, 30 de novembro de 2008

Mário Gruber e Sua Arte Fantástica

sem título disponível


Nesta nova página da série A Arte, vamos até o litoral
de São Paulo, a cidade de Santos onde em 1927,
nasceu Mário Gruber.


Autodidata, começou a pintar em 1943, tendo entrado
para a Escola de Belas Artes em São Paulo três anos depois,
onde após um ano, ganhou o primeiro prêmio no grupo de
dezenove pintores expositores.

O início de sua carreira, foi marcado pelo expressionismo,
na década de 50 pela realidade social. Já na década
de 70, foi influenciado por recursos fotográficos, optando
finalmente pelo realismo fantástico.


mário gruber

Suas obras fazem parte de acervos nos museus do Brasil
e também de internacionais tais como o Wisconsin
State Museum College Union, USA, o Museu Poushkin, Moscou,
URSS, o Wisconsin State Museum College Union, USA,
 dentre outros muitos museus.

Morreu aos 84 anos, numa clínica geriátrica em Cotia,
interior do estado de São paulo, onde estava internado
para se tratar de complicações causadas por um câncer.
A seguir, uma pequena mostra da arte fantástica deste que foi
um dos maiores pintores do Brasil, Mário Gruber.

carlos miranda (betomelodia)




fantasiado II - 1976

sem título - 1982

grupo do coração maneiro - 1987

a última tela: retrato de mário schenberg - 1978

sem título - 1967

chapéu de couro - 1979

sem título - 1984

sem título - 1984

sem título - 1978



destaco: serigrafia rara, sem título


fontes
imagens: google - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Dança da Solidão, com Marisa Monte e Paulinho da Viola



Considerada por uma das mais notáveis revistas
do mundo no segmento de música, como
a maior cantora do Brasil, posto este antes ocupado
por Elis Regina, aqui mostraremos um pouco
da Arte de Marisa Monte.


marisa monte

Em 1985, permaneceu dez meses na Itália
para estudar canto, mas desistiu do gênero lírico
e passou a cantar Música Popular Brasileira
acompanhada de amigos e com isso,
enriquecendo nossas noites.

Marisa Monte já fazia muito sucesso de
público e de crítica, mesmo antes de ter o primeiro
disco gravado, o que só veio a acontecer
em 1988, com Marisa Monte ao Vivo.
Mas aqui nesta postagem, ela não vai estar
só, mas muito bem acompanhada...


paulinho da viola

... acompanhada por um dos mais requintados
compositores de samba em atividade, por
Mestre, por Paulinho da Viola.
Letrista e instrumentista aclamado, cresceu
ouvindo em casa canjas de músicos tais como
Pixinguinha e Jacob do Bandolim, logo aprendendo
a tocar violão e cavaquinho.

Sua música fala do dia a dia das pessoas
com uma poesia toda especial, sendo um dos
poucos artistas que fazem uma elegia da
negritude brasileira. Sua elegância se deve não
apenas por seu extraordinário talento
e sofisticação musical, ma
também por sua postura e caráter.

carlos miranda (betomelodia)


video



Solidão é lava
Que cobre tudo
Amargura em minha boca
Sorri seus dentes de chumbo

Solidão palavra
Cavada no coração
Resignado e mudo
No compasso da desilusão

Desilusão desilusão
Danço eu dança você
Na dança da solidão

Camélia ficou viúva
Joana se apaixonou
Maria tentou a morte
Por causa do seu amor

Meu pai sempre me dizia
Meu filho tome cuidado
Quando eu penso no futuro
Não esqueço o meu passado

Desilusão desilusão
Danço eu dança você
Na dança da solidão

Quando vem a madrugada
Meu pensamento vagueia
Corro os dedos na viola
Contemplando a lua cheia

Apesar de tudo existe
Uma fonte de água pura

Quem beber daquela água
Não terá mais amargura

Desilusão desilusão
Danço eu dança você
Na dança da solidão

Danço eu dança você
Na dança da solidão


paulinho da viola



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Deixa Eu Te Amar, Agepê



Agepê, nome artístico de Antônio Gilson Porfírio,
nascido na cidade de Rio de Janeiro no dia
10 de agosto de 1942, e lá vindo a falecer em
30 de agosto de 1995.


agepê

Qual músico não teve o prazer de, ao interpretar
uma de suas canções, ser muito aplaudido
pelo público presente? Carioca, fez parte do
grupo de compositores da Portela, lançando seu
primeiro sucesso em 1975, com a composição
"Moro Onde Não mora Ninguém".

Mas seu maior recorde nacional foi com
"Deixa Eu Te Amar", do disco "Mistura Brasileira"
em 1984, que teve mais de um milhão e meio
de cópias vendidas. Seu samba então, enveredou
por um estilo mais romântico, sensual e comercial, que
fez escola, inspirando a muitos compositores.


Não preciso dizer que esta composição, que considero
um dos melhores sambas que de amor fala,
sempre fez parte de meu repertório, e é muito bem
ilustrada no vídeo abaixo em uma ótima edição.

carlos miranda (betomelodia)



video



Quero ir na fonte do teu ser
E banhar-me na tua pureza
Guardar em pote gotas de felicidade
Matar saudade que ainda existe em mim

Afagar teus cabelos molhados
Pelo orvalho que a natureza rega
Com a sutileza que lhe fez a perfeição
Deixando a certeza de amor no coração

Deixa eu te amar
Faz de conta que sou o primeiro
Na beleza desse teu olhar
Eu quero estar o tempo inteiro

Quero saciar a minha sede
No desejo da paixão que me alucina
Vou me embrenhar nessa mata só porque
Existe uma cascata que tem água cristalina

Aí então vou te amar com sede
Na relva na rede onde você quiser
Quero te pegar no colo
Te deitar no solo e te fazer mulher

Deixa eu te amar
Faz de conta que sou o primeiro
Na beleza desse teu olhar
Eu quero estar o tempo inteiro


adriano jurandi da silva / joão pereira lima filho




fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

domingo, 23 de novembro de 2008

A Ilha Fiscal - Minha Cidade Natal



Sempre tive vontade de divulgar,
mostrar os espaços nos quais passei minha infância
e adolescência em minha cidade natal,
Rio de Janeiro.
Nunca fiquei satisfeito com o que escrevi,
com minhas descrições, pois não conseguia
dar a impressão exata da enorme importância
que esses lugares, muitas vezes
desconhecidos da quase totalidade dos cariocas,
possuem, não só em beleza ou tradição,
mas em termos históricos. Sempre me faltavam dados
confiáveis em minhas rápidas pesquisas.
Navegando pela web encontrei o que tentei fazer,
da maneira que sempre desejei mostrar
minha maravilhosa cidade e assim,
vou transcrever para vocês esse bonito trabalho
de pesquisa e divulgação que revelou
a mim alguns lugares que, também eu desconhecia.

carlos miranda (betomelodia)






"A ilha é um delicado estojo, digno de uma brilhante jóia".
D. Pedro II


a ilha fiscal

Baía de Guanabara, Rio de Janeiro.
Próximo ao Centro Histórico da cidade, fica a Ilha Fiscal.
À princípio conhecida como Ilha dos Ratos,
teve seu nome mudado por ter sido a sede do posto
da Guarda Fiscal, órgão fiscalizador então responsável
pela entrada e saída de navios do porto, na cidade,que era
a capital, no século dezenove.


vista noturna

É lá que se encontra um magnífico palacete, um
charmoso prédio em estilo gótico-provençal, que foi
construído no antigo cais da Alfândega do Rio de Janeiro,
sobre área aterrada na segunda metade do século
dezenove, distante da cidade cerca de quinze minutos.
Foi lá que aconteceu o famoso último grande baile
do Império, quando então, dias depois do mesmo, a
Família Imperial Brasileira foi banida pela
Proclamação da República.



um belo vitraux do palacete

É lá que se encontra um magnífico palacete, um
charmoso prédio em estilo gótico-provençal, que foi
construído no antigo cais da Alfândega do Rio de Janeiro,
sobre área aterrada na segunda metade do século
dezenove, distante da cidade cerca de quinze minutos.
Foi lá que aconteceu o famoso último grande baile
do Império, quando então, dias depois do mesmo, a
Família Imperial Brasileira foi banida pela
Proclamação da República.




destaco: galeota imperial

fontes
imagens: google / maurizio bersani - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google / maurizio bersani

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Diga, com Bebel Gilberto e João Gilberto



Bebel Gilberto, nascida Isabel Gilberto de Oliveira,
na cidade de Nova Iorque, Estados Unidos, filha de
João Gilberto e da cantora Miúcha, iniciou ainda
bem jovem a sua carreira ao participar de coros infantis
e musicais, tais como Saltimbancos e Pirlimpimpim.

Não é sempre que se encontra um vídeo como esse,
registrando um mágico momento em que pai e filha em
um palco, um perfeito entrosamento e afinação,
brindando o público com uma bela e inesquecível
apresentação. Um momento perfeito. 




Em 13 de julho deste ano, publiquei a página intitulada
" 50 Anos e Continua Jovem! ", com um vídeo no qual Bebel
interpreta Chega de Saudade em um dueto com o pai.
Este vídeo marcou a  sua estréia na televisão no especial
João Gilberto do Prado Pereira de Oliveira, em 1980.

Na postagem de hoje, a volta da dupla cantando Diga,
uma composição de João Gilberto.

carlos miranda (betomelodia)


video



Diga se você me quer ou não
Diga se comigo é feliz 
Todo mundo sabe 
O que existe entre nós dois 
Diga tudo agora e não depois 

Nosso amor não é cinema 
Desses de mil e cem 
Nosso amor não é comédia 
Pra dar risos pra ninguém 

Quanta gente me pergunta 
Se ao seu lado vivo bem 
Eu não minto, digo tudo 
Sem você não sou ninguém

joão gilberto



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Aldemir Martins e a Brasilidade Sem Culpa



Nesta nova postagem da série A Arte,
vamos subindo pelo mapa do Brasil até o Ceará.
Ingazeiras, Vale do Cariri. Lá, no dia oito
de novembro de 1922, nascia Aldemir Martins.
Sua vasta obra, importantíssima para o panorama
das artes plásticas no Brasil com seus traços
fortes e tons vibrantes, imprimem vitalidade
e força tais que a fazem inconfundível.



aldemir martins

Nos desenhos de cangaceiros, nos seus
peixes, galos, cangaceiros, nas aves, frutas
e até na sua série de gatos, transparece
uma brasilidade sem culpa, que extrapola o
eixo temático e alcança as cores,
luzes e os traços e telas de uma cultura.

Aldemir, morreu em 05 de fevereiro de 2006,
aos 83 anos, no Hospital São Luís na cidade
de São Paulo, mas não sem quebrar as
barreiras que limitam um artista, tornando-se
a própria expressão de uma coletividade.

carlos miranda (betomelodia)




caranguejo

peixe tropical

galo

bumba meu boi

gato preto

homem do sertão


destaco: pássaro tropical


fontes
imagens: google - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google