quinta-feira, 30 de abril de 2009

Dois Fótons, um Destino

o big bang


Há aproximadamente 18 bilhões de anos,
uma violenta explosão, da qual pouco ou quase nada
sabemos, resultou na formação de todo esse
maravilhoso Universo em que hoje habitamos.
Foi denominada Big Bang.

Em sua infância, após uma inacreditável expansão, antes
mesmo que a Criação tivesse um segundo de vida e
pelos próximos trezentos mil anos seguintes, os
fótons dominavam o Universo. Espalhavam-se.
Aos poucos, começaram a surgir os átomos de hidrogênio
e hélio. Com a idade de cerca de um milhão de anos, um
novo fato começou a ocorrer. Em meio à nuvens de
quentes gases, que continham as sementes do que hoje
são as miríades de galáxias, repletas de milhões de sóis,
o que chamamos de força gravitacional começou a agir
e os primeiros aglomerados começaram a se formar.

Elementos que formam a vida, tais como
o carbono e o oxigênio, só surgiram bilhões de anos depois,
sintetizados no interior de imensas estrelas já moribundas.
Assim a Teoria do Big-Bang consegue teorizar, com um
grau de confiabilidade razoável, a infância remota
do Universo. Mas antes do marco zero, o que existia
quando ainda não tinha sequer começado?

A resposta mais honesta é: não sabemos.
O big bang deu origem a tudo, inclusive ao espaço e ao
tempo. Quer dizer, antes disso existia algo que só
podemos chamar de desconhecido. Esqueçamos então, aquelas
imagens que de vez em quando você vê em filmes, em que um
vasto espaço escuro é preenchido por uma explosão.
Não havia matéria, não havia espaço, não havia tempo,
não havia... nada.

carlos miranda (betomelodia)






A lembrança. Em meio ao silêncio, foram ofuscados
por intenso brilho e violentamente separados.
Rápida e inexoravelmente, seguiram por caminhos
diferentes, opostos, rumo à escuridão, ao desconhecido.
A partir de então, a busca começara.

Após milhares de anos, em meio aos fótons que então
povoavam o Universo, continuou a buscar sua companheira
e ela, a ele. Cada um conhecia o luzir que almejavam
encontrar, tecendo na tarefa, planos para o
encontro. O vazio que os invadira era tão grande
quanto o espaço em que agora viviam e que
ante seus sentidos, lentamente se modificava.
Novos elementos surgiram e iniciaram uma nova
etapa na evolução do Universo de suas existências.
A determinação dos dois fótons de se
encontrarem, mesmo com o passar de milhões de anos,
não esmorecia. Continuavam a buscar-se.
Vagavam então pelo negro vazio. Buscando.


a expansão do universo


Assim, viram belas nuvens de gases se condensarem,
gigantescas estrelas nascerem e sucumbirem ante
seu colossal e insustentável tamanho. Assistiram
à formação de galáxias, sóis e planetas,
visitando a todos em sua incansável busca.

Certa feita, um milagre aconteceu.
Creio que o Criador se compadeceu de seus penares.
Ou então, os demais fótons e os
novos elementos que criados foram, souberam
de suas histórias e em todo o Universo,
resolveram ajudá-los. Uniram-se. Criaram novos elementos,
prepararam o vazio para receber a Vida, Vida que
os faria no futuro se encontrarem.

Com o passar de bilhões de anos o Universo tornou-se
mais estável. Novas estrelas nasceram e os guiaram com a
forte luz, existência por existência, tecendo
o destino que então poria fim à sua incansável
procura. Aconteceu que o Amor recíproco, não deixou
que neles ocorressem mudanças. Mesmo ainda separados.
Amavam-se desde o princípio dos tempos. Eram um só.
Fótons eram e fótons continuaram a ser, espalhando seu
puro luzir, primordial luzir, pelo espaço que continuavam
a singrar até então. E num planeta à beira de uma
galáxia, um dia sentiram a presença, um do outro e a
procura tornou-se frenética, louca e incansável.


o planeta terra

Vidas ainda separadas eram. A busca continuou em
meio à matéria. Encontraram-se. Estavam então
aprisionados. Corpos materiais, orgânicos, eram então.
Mas com seu brilhar ainda forte e decidido, tornariam
a ser novamente pequenas luzes, luzes guiadas e
protegidas pelo Amor Eterno, sem igual. Sei, com certeza,
que no futuro voltarão ao espaço sem fim, juntos,
percorrendo os mundos em que estiveram à procura
da paz e da ventura que como agora, vivem. Lado a lado.


" Sim, somos um só!
Isso, tenho certeza, pois além de nada mais saber,
apenas disso tenho certeza. "

carlos miranda,(betomelodia)



fontes
imagens: google - textos: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google