quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Casinha Branca, Renato Teixeira



" Vem amor, dá-me a sua mão
Caminharemos juntos ao nosso ninho,
A nossa linda casinha branca
Aqui pertinho, de frente ao mar,
Onde a trepadeira sobe pela sacada.
E antes da sua chegada, meu amor
Ela alcançou o nosso quarto,
Para moldar as janelas e testemunhar nosso amor.

O jardim repleto de rosas,
Onde reinam as margaridas, amores perfeitos,
Sem contar os pés de madressilvas.
E as camélias a embelezar cada vez mais o nosso lar.
Lá no nosso cantinho trocaremos beijos ardentes,
Saboreando gota a gota do mel
Que jorrará dos seus lábios,
Saciando a minha sede de amor.

Nesse local sagrado em que nossos corpos se encontrarão
Num frenezi sem fim, desfrutaremos o nosso amor
Como fosse a primeira e única noite.
Depois de saciados, da sacada apreciaremos o mar
Ouvindo o suave cantar das ondas,
Que por vezes irão embalar o nosso amor. "


catarina


renato teixeira

Renato Teixeira de Oliveira.
Nascido na cidade de Santos, estado de São Paulo, em
maio de 1945, conhecido por Renato Teixeira,  é um renomado
compositor e cantor desse belo universo musical do Brasil,
autor de grandes sucessos tais como Romaria, Amanheceu,
Tocando em Frente e outros mais.

Renato sempre pesquisou a nossa história musical, ouvindo
muitas canções em vários gêneros, do samba à musica
caipira. Admirador do talento e a vocação musical de cantores
e compositores brasileiros.

Além de cantor e compositor, ele foi apresentador do
programa Tom Brasileiro, com músicos que valorizam a
música brasileira, sendo um defensor ferrenho da música
de raiz, a caipira como é conhecida, que sobrevive até os dias
atuais apesar dos desvios da música sertaneja.

Um de seus grandes sucessos ilustra esta postagem,
Casinha Branca, de autoria de Elpídio dos Santos, em uma
edição de vídeo feita por Ivanete

carlos miranda (betomelodia)






Fiz uma casinha branca
Lá no pé da serra
P'rá nós dois morar
Fica perto da barranca
Do Rio Paraná
A paisagem é uma beleza
Eu tenho certeza
Você vai gostar
Fiz uma capela
Bem do lado da janela
P'rá nós dois rezar

Quando for dia de festa
Você veste o seu vestido de algodão
Quebro meu chapéu na testa
Para arrematar as coisas do leilão
Satisfeito eu vou levar
Você de braço dado
Atrás da procissão
Vou com meu terno riscado
Uma flor do lado e meu chapéu na mão
Vou com meu terno riscado
Uma flor do lado e meu chapéu na mão


elpídio dos santos




fontes
imagens: google - edição de vídeo: ivanete (iva souza) - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Ordem Natural das Coisas, Rodrigo Sater

por do sol no pantanal - mato grosso do sul


Nesta postagem, a homenagem que faço é dupla.
Ao residir em Campo Grande, Mato Grosso do Sul,
tive o prazer de conhecer mais um membro da
família Sater, o Rodrigo, irmão do Almir.

Logo incorporei algumas de suas belas composições
ao meu repertório que sempre são muito bem
aceitas pelo público presente em minhas interpretações,
sendo Ordem Natural das Coisas, a minha preferida.


rodrigo sater


A segunda homenageada é Ivete, editora de um 
ótimo blog por mim recomendado, que passa
a integrar com seu primeiro vídeo editado o
seleto clube de editores do YouTube.
Confiram a seguir.

carlos miranda (betomelodia)


edição de vídeo: ivykuns




Quando o sol já corre a se esconder
E a noite já se faz sentir
Aparecem os velhos temores
Coração precisa resistir

Não se mata a sede de viver
O futuro nunca vai ter fim
Nem que seja o sonho dos poetas
Tudo aquilo que restou pra mim
E que me conduz

De repente vem uma canção qualquer
E logo nos seduz
E a verdade que ninguém podia ver
Surge a olhos nus

Mas nem tudo é como a gente quer
Esse mundo não foi feito assim
Desprezamos todos os valores
Nem sabemos mais o que é ruim

Então siga logo quem souber
O caminho para ser feliz
É viagem pra quem não tem pressa
O destino de quem sempre quis
Ter alguma luz

De repente vem uma canção qualquer
E logo nos conduz
E a verdade que ninguém podia ver
Surge a olhos nus

Com a ordem natural das coisas
Pelo menos aprendi
Foi a ordem natural das coisas
que me trouxe até aqui

rodrigo sater




fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Casinha Branca, Maria Bethânia



Sonhos. Simples ou portentosos, mas sempre sonhos.
Essa composição de Gilson e Joran, descreve 
bem a minha vontade de viver. Uma casa simples,
um lugar tranquilo, repleto de verde, paz no 
viver com a pessoa amada, humildade nos dias 
repletos de amigos e com o conforto básico, 
necessário aos dias atuais. 
Um sonho à dois, um incessante buscar que sei um 
dia, frutos me trará. 

Assim, na voz de Maria Bethânia, com a edição
de vídeo por Ivanete, uma bela
composição de Gilson e Joran:
Casinha Branca.

carlos miranda (betomelodia)





Eu tenho andado tão sozinho ultimamente
Que nem vejo a minha frente
Nada que me dê prazer
Sinto cada vez mais longe a felicidade
Vendo em minha mocidade
Tanto sonho perecer

Eu queria ter na vida simplesmente
Um lugar de mato verde
Pra plantar e pra colher
Ter uma casinha branca de varanda
Um quintal e uma janela
Para ver o sol nascer

Às vezes saio a caminhar pela cidade
À procura de amizades
Vou seguindo a multidão
Mas eu me retraio olhando em cada rosto
Cada um tem seu mistério
Seu sofrer, sua ilusão

Eu queria ter na vida simplesmente
Um lugar de mato verde
Pra plantar e pra colher
Ter uma casinha branca de varanda
Um quintal e uma janela
Para ver o sol nascer

gilson / joran



fontes
imagens: google - edição de vídeo: ivanete (iva souza) - texto: carlos miranda (betomelodioa)
base das pesquisas: google