domingo, 30 de maio de 2010

Teleco Teco, Paula Morelembaun

paula morelenbaum



Com seu cantar, Paula Morelenbaum nos fascina.
Nascida na cidade de Rio de Janeiro,
em 31 de julho de 1962, é considerada hoje uma das
melhores intérpretes da Música Popular Brasileira.

Casada com Jaques Morelenbaum, participou de
várias excursões com Antonio Carlos Jobim nos anos
de 1984 à 1994, como membros da banda.

Faz parte de outro grupo além do Jobim, que que é
o Quarteto Jobim-Morelenbaum, tendo feito parte também
no Morelenbaum-Sakamoto, com seu marido Jaques e o
tecladista e compositor japones Sakamoto.

No vídeo à seguir, uma pequena mostra de seu
grande talento.

carlos miranda (betomelodia)


video




Telecoteco teco-teco teco-teco
Ele chegou de madrugada batendo tamborim
Telecoteco teco telecoteco
Cantando Praça Onze
Dizendo foi pra mim

Teleco-eco teco-teco teco-teco
Eu estava zangada e muito chorei
Passei a noite inteira acordada
E a minha bronquite assim comecei

Você não se dá o respeito
Assim desse jeito isso acaba mal
Você é um homem casado
Não tem o direito de fazer carnaval

Ele abaixou a cabeça
Deu uma desculpa e eu protestei
Ele arranjou um jeitinho
Me fez um carinho e eu perdoei

autor desconhecido



fontes
imagem: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

terça-feira, 25 de maio de 2010

Migalhas, Simone





Brotas, Bahia. Nesta terra abençoada, nasceu
Simone Bittencourt de Oliveira que em 1966, mudando
para São Paulo, cursou Educação Física na cidade
de Santos onde foi colega dos jogadores de futebol Pelé,
Emerson e Leivinha. Bem até descobrir sua verdadeira
vocação e talento para a escolha, muitas águas rolaram.

Na capital paulista, Simone deu aulas em uma academia

em Santana, bairro paulista, foi jogadora de basquete
chegando a ser convocada por duas vezes para a
Seleção Brasileira. Devido à problemas físicos foi
descartada pouco antes do embarque na primeira
convocação e na segunda, no campeonato de 1971, ficou
no banco de reservas.

Simone teve aulas de violão com Elodir Barontini, uma

grande amiga. À convite dela participou de um
jantar na residência do então gerente de marketin da
Gravadora Odeon, Moacir Machado. Ao final do jantar,
Simone foi convidada a fazer um teste na gravadora e então,
o primeiro contrato. A primeira gravação em outubro de
1972, teve a tiragem distribuída apenas para amigos,
parentes e para o meio artístico, isso em março de 1983,
data considerada como o início de sua carreira.
Simone foi apontada como um dos nomes mais
promissores. O sucesso começou assim, de forma gradual.

E que sucesso. A presença de Simone no palco é

caracterizada por seus trajar sempre na cor branca, por
sua altura, porte atlético e pelos gestos de abrir os braços
em formato de cruz ao final de algumas interpretações.
Ao encerrar o show, Simone distribui rosas, brancas é claro,
ao público presente como forma de agradecimento.

carlos miranda (betomelodia)



video





Sinto muito
Mas não vou medir palavras
Não se assuste
Com as verdades que eu disser

Quem não percebeu
A dor do meu silêncio
Não conhece
O coração de uma mulher

Eu não quero mais ser
Da sua vida
Nem um pouco do muito
De um prazer ao seu dispor
Quero ser feliz
Não quero migalhas
Do seu amor
Do seu amor

Quem começa
Um caminho pelo fim
Perde a glória
Do aplauso na chegada

Como pode
Alguém querer cuidar de mim
Se de afeto
Esse alguém não entende nada

Eu não quero mais ser
Da sua vida
Nem um pouco do muito
De um prazer ao seu dispor
Quero ser feliz
Não quero migalhas
Do seu amor
Do seu amor...

Não foi esse o mundo
Que você me prometeu
Que mundo tão sem graça
Mais confuso do que o meu

Não adianta nem tentar
Maquiar antigas falhas
Se todo o amor
Que você tem pra me oferecer
São migalhas, migalhas

erasmo carlos




fontes
imagem: google - vídeo: youtube - texto carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Viola no Paletó, Paulo Diniz

meu escritório, meu paraíso


À todos que me julgam, amores, parentes, amigos, inimigos,
haverá de chegar o dia em que entendam o quanto fui
importante e me doei sem restrições, no amparo de quem
de mim precisou, de quem em mim buscou palavras amigas.

Entenderão enfim que, tenho meu modo de viver
e que apesar de meus defeitos, minhas imperfeições,
tenho um viver com muitas mágoas e decepções, o que
faz com que eu esteja sempre me questionando
sobre as razões de amar meus semelhantes sentindo

que por eles não sou amado.

Também sou humano, igual à vocês e a decepção
corrói meu já cansado coração mas, lembro que a vida
tem que seguir em frente, pois afinal tem muita
gente que vive sem notar que o passado não
se pode apagar e que o futuro pode não chegar.

Tento apenas ter minha consciência tranquila, ciente
que dei o melhor de mim e que não importa se acham
que assim não o foi. O tempo passa sem que
possamos sentir e no fim de tudo, quero ver quem de nós
vai sorrir, eu que muitas vezes mergulhei na
decepção ou aqueles que feriram tanto o meu coração.


carlos miranda (betomelodia)





paulo diniz



A vida é cheia de mistérios.
Paulo Diniz com sua composição, Viola no Paletó, fez
com que várias fases de minha vida tivessem uma
espécie de fundo musical, feito especialmente para mim,
tal como acontece hoje comigo.

Estou no extremo sul de meu País, no belo estado
de Rio Grande do Sul. Viamão é a minha nova morada.
Deixei várias fases de meu viver, alguns poucos amigos
em cada lugar desse imenso mundão por onde andei,
mas sempre só com meu sonhar.

Mais uma vez a tal felicidade, o bem viver com
paz, amor e tranquilidade parece não querer
minha companhia. Devo ter sonhos impossíveis
ou talvez me falte inteligência para entender a vida.

Paulo Diniz é um de meus ídolos. Suas composições
com parceria de Odibar, outro imenso talento da
Música Popular Brasileira, em meus momentos de
íntimo questionamento, me ajudam a entender
meus erros e acertos, trazendo alento para que eu
siga em frente. Estranho? É, mas comigo é assim.

Atualmente Paulo Diniz em seus setenta anos,
continua fazendo suas apresentações, porém em
uma cadeira de rodas em virtude da misteriosa
doença que o acometeu em 2005, paralisando seus
membros inferiores sem paralisar seu grande talento.

Eu, vou continuar lutando por minha paz, por
meu amor, por uma velhice tranquila e como sempre,
buscando minhas inspirações na Música, Música
que sempre norteou minha vida.
Assim como Paulo, não perdi a esperança.

carlos miranda (betomelodia)



video



Minha gente eu vim de longe
Estou aqui cansado e só
Minha gente eu vim de longe
Estou aqui cansado e só

Tenho muito prá contar
Do que vi, por onde andei
Das estradas dos caminhos
Dos lugares que passei

 Tô chegando e trouxe pouco
Porque muito eu não ganhei
 Tô chegando e trouxe pouco
Porque muito eu não ganhei

Trouxe forças pra lutar
Por um bem que já se fez
Trouxe uma vontade imensa
De ficar de uma vez

 Trouxe um canto e um desencanto
E um sorriso que consola
Muito amor dentro do peito
Pouca coisa na sacola

Trouxe o cansaço da vinda
De quem anda a pé e só
 E uma viola sofrida
Pendurada no paletó

paulo diniz / roberto josé


 

fontes
imagens: google/betomelodia - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

sábado, 15 de maio de 2010

Antonio Soriano e as Paisagens Gaúchas

paisagem


A postagem de hoje é dedicada ao neto de
José Ibañez Soriano, de origem espanhola, ourives e
um dos proprietários da antiga Joalheria Ibañez,
na capital do estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.



antonio soriano


Na cidade de Santo Ângelo, no dia 15 de janeiro de l944,
nascia Antonio Soriano, hoje, destaque nacional
nas Artes Plásticas. Suas telas retratam a beleza dos
campos gaúchos, o seu tema preferido.

Aluno grandes Mestres da Pintura Nacional, Ado Malagoli
e Rubens Galant Costa Cabral, a eles se igualou
na beleza de suas obras, onde o contraste entre
luminosidade e sombra é a definição em seu estilo.
Soriano iniciou suas atividades nos anos 60, 
tendo durante muitos anos alternado a publicidade e a pintura
até optar pela última em 1987.

Abaixo, algumas telas de um Mestre,
Antonio Soriano, Artista Plástico, um Mestre com
nome reconhecido em nosso amado Brasil.

carlos miranda (betomelodia) 















fontes
imagens: google - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

( telas exibidas sem títulos disponíveis )

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Samba é Tudo, Celso Fonseca

celso fonseca


Nessa postagem vamos mostrar o talento
de um cantor, instrumentista e autor de belas
composições como a que ilustra o vídeo abaixo.

Nascido em 15 de Novembro de 1956, carioca,
iniciou sua carreira de violonista aos 12 anos tendo
se dedicado profissionalmente à música em 1975, aos
19 anos. Como produtor, data de 1986 o início de
uma série imensa de sucessos com alguns ícones da
Música Popular Brasileira.

Influenciado por Baden Powell, esteve ao lado
de Gilbero Gil, Marisa Monte e Bebell Gilberto, entre
tantos outros.

Apreciem seu cantar suave em Samba é Tudo.

carlos miranda (betomelodia)


video





Tem quem diz que o samba é mãe
Mas não vai ao samba se benzer
Ninguém diz que o samba é pai
Mas não quer ao samba obedecer

Ser sambista é muito mais
Do que ser notícia nos jornais de Sampa
Têm quem diz que o samba é mãe
Mas não cai na fonte do prazer

Bamba faz que vai e não vai
Mas não diz que é dono do andor
Um homem de bem não cai
E não trai a quem lhe tem amor

Quando um capoeira cai
Ele pede ao samba proteção divina
Diz que tudo é samba

Samba é tudo o que Donga abençoou
Diz que tudo é samba
Samba é tudo o que Deus abençoou

O valor dá-se a quem tem
Ismael foi nosso professor
Samba raro é samba em paz
E quem faz não diz que tem valor

O bom samba é o que traz
Na cadência a doce pulsação da Vila
Pra fazer um samba a mais
É preciso mais que pretensão

celso fonseca / ronaldo bastos


fontes
imagem: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google