sexta-feira, 26 de abril de 2013

Você Endoideceu Meu Coração e Xororô, Nando Reis


nando cordel


Fernando Manoel Correia.
Foi em 13 de dezembro de 1953, na cidade de Ipojuca, Pernambuco,
que a Música Popular Brasileira foi enriquecida. Nesta data,
nasceu o talentoso brasileirinho que mais tarde seria 
conhecido por Nando Cordel.

Entre a medicina e a arquitetura, opções de ganhar a vida
sugeridas por seus pais, Nando escolheu uma bem diferente,
a Música. E nós saímos ganhando com esta
escolha. Compositor, Cantor e Instrumentista, ele tem
muitas de suas ótimas composições gravadas por
grandes intérpretes de nossa Música.

De sua parceria com Dominguinhos, resultou um
grande sucesso interpretado pela primeira vez
por  Elba Ramalho. Interessante é que sua fama é maior
como compositor do que intérprete.

Nando também compõe Músicas para meditação,
tendo já gravados doze cd's, preparando-se para o lançamento
de seu décimo terceiro da série de Músicas Instrumentais.
Esta série é conhecida e apreciada em vários países europeus
e americanos. Aguarde o próximo.


carlos miranda (betomelodia) 




Você endoideceu meu coração
Endoideceu
Agora o que é que eu faço sem o teu amor
Agora o que é que eu faço sem um beijo teu

Eu nem pensei já estava te amando
Meu corpo derretia de paixão
Queria estar contigo todo instante
Te abraçando te beijando
Te afogando de emoção

Ficar na tua vida eu quero muito
Grudar pra nunca mais eu te perder
Você é como água de cacimba
Limpa doce saborosa
Todo mundo quer beber

 nando cordel



Teu beijo foi bater no céu da boca
Pegou bem no paladar
Aí minha cabeça deu a louca
Vontade de tirar a roupa
E ali mesmo te amar

Xô, chororô
Nunca mais solidão
O beijo foi no céu da boca
E respondeu no coração

Eu gosto quando o corpo fica afoito
E sai em busca do prazer
Aí eu me desmancho de desejo
Mas primeiro eu vou de beijo
Pra depois me derreter

Xô, chororô
Nunca mais, solidão
O beijo foi no céu da boca
E respondeu no coração

 accioly neto / nando cordel




fontes:
imagem: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

sábado, 13 de abril de 2013

O Quereres, com Maria Gadú e Caetano Veloso

caetano veloso e maria gadú



Duas gerações da Música Popular Brasileira.
Caetano, um ícone, grande compositor e intérprete, do
qual nada podemos acrescentar a seu respeito que não seja
do conhecimento de seus fãs, nacionais ou internacionais.

Gadú. Compôs aos dez anos Shimbalaiê, que foi incluída
na trilha sonora de uma novela. Indicada duas vezes ao Grammy, 
uma das indicações como Revelação e outra como Melhor Álbum,
despertou a atenção de várias personalidades ligadas ao
universo musical, cativando público e críticos. 
Obteve destaque especial ao interpretar Ne Me Quitte Pas
para a minissérie de uma emissora de televisão.

Abaixo, o resultado da união de dois grandes astros
composição de Caetano Veloso.

carlos miranda (betomelodia) 





Onde queres revólver, sou coqueiro
E onde queres dinheiro, sou paixão
Onde queres descanso, sou desejo
E onde sou só desejo, queres não
E onde não queres nada, nada falta
E onde voas bem alto, eu sou o chão
E onde pisas o chão, minha alma salta
E ganha liberdade na amplidão

Onde queres família, sou maluco
E onde queres romântico, burguês
Onde queres Leblon, sou Pernambuco
E onde queres eunuco, garanhão
Onde queres o sim e o não, talvez
E onde vês, eu não vislumbro razão
Onde queres o lobo, eu sou o irmão
E onde queres cowboy, eu sou chinês

Ah! Bruta flor do querer
Ah! Bruta flor, bruta flor

Onde queres o ato, eu sou o espírito
E onde queres ternura, eu sou tesão
Onde queres o livre, decassílabo
E onde buscas o anjo, sou mulher
Onde queres prazer, sou o que dói
E onde queres tortura, mansidão
Onde queres um lar, revolução
E onde queres bandido, sou herói

Eu queria querer-te amar o amor
Construir-nos dulcíssima prisão
Encontrar a mais justa adequação
Tudo métrica e rima e nunca dor
Mas a vida é real e é de viés
E vê só que cilada o amor me armou
Eu te quero (e não queres) como sou
Não te quero (e não queres) como és

Ah! Bruta flor do querer
Ah! Bruta flor, bruta flor

Onde queres comício, flipper-vídeo
E onde queres romance, rock?n roll
Onde queres a lua, eu sou o sol
E onde a pura natura, o inseticídio
Onde queres mistério, eu sou a luz
E onde queres um canto, o mundo inteiro
Onde queres quaresma, fevereiro
E onde queres coqueiro, eu sou obus

O quereres e o estares sempre a fim
Do que em mim é em mim tão desigual
Faz-me querer-te bem, querer-te mal
Bem a ti, mal ao quereres assim
Infinitivamente pessoal
E eu querendo querer-te sem ter fim
E, querendo-te, aprender o total
Do querer que há, e do que não há em mim

caetano veloso



fontes
imagem: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Sensações, Paula Fernandes

paula fernandez

Ah, Minas Gerais.
Quantas maravilhas possuis, quantos compositores e intérpretes
em teus recantos nasceram e ao mundo brindaram com
muitas das melhores páginas da Música Popular Brasileira.

Foi lá, na bela cidade de Sete Lagoas que nasceu
Paula Fernandes de Souza, em 28 de agosto de 1984.
O amor precoce pela Música, sempre presente em seus
dias, levou-a ao início de sua carreira aos oito
anos de idade.

Sua voz suave, cativa todos em seu cantar, 
em seu interpretar com maestria, as belas letras das
canções sertanejas em ótimos arranjos.

A página de hoje a ela é dedicada.
Ela que, com simpática modéstia e imenso talento,
conquistou o coração dos brasileiros de todas as idades,
ela que alçou voo para o sucesso na Arte Musical e por esse
mundão afora conquistou seu merecido lugar,
divulgando nossa cultura à todos os povos,
sem cenas, gritos ou estrelismo.
Simplicidade e talento nato. Muito Talento.

carlos miranda (betomelodia)



" Esse clip é baseado em uma palavra : LINDA.
Linda mulher, linda voz, linda música, linda melodia, lindo tudo. "
Jarde Lopes


Eu me perdi perdi você
Perdi a voz  o seu querer
Agora sou somente um
Longe de nós um ser comum
Agora sou um vento só a escuridão

Eu virei pó fotografia
Sou lembrança do passado
Agora sou a prova viva
De que nada nessa vida
É pra sempre até que prove o contrário

Estar assim sentir assim
Turbilhão de sensações dentro de mim
Eu amanheço eu estremeço eu enlouqueço
Eu te cavalgo embaixo do cair
Da chuva eu reconheço

Estar assim sentir assim
Turbilhão de sensações dentro de mim
Eu me aqueço eu endureço
Eu me derreto eu evaporo
Eu caio em forma de chuva eu reconheço
Eu me transformo

Agora sou um vento só a escuridão
Eu virei pó fotografia,
Sou lembrança do passado
Agora sou a prova viva
De que nada nessa vida
É pra sempre até que prove o contrário

Estar assim sentir assim
Turbilhão de sensações dentro de mim
Eu amanheço eu estremeço eu enlouqueço
Eu te cavalgo embaixo do cair
Da chuva eu reconheço

Estar assim sentir assim
Turbilhão de sensações dentro de mim
Eu me aqueço eu endureço
Eu me derreto eu evaporo
Eu caio em forma de chuva

Agora sou um vento só a escuridão
Eu virei pó fotografia
Sou lembrança do passado

paula fernandes



fontes
imagem: google - vídeo:  paula fernandes (vevo) - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google