sábado, 22 de abril de 2017

Pérola Negra, com Alexandre Pires

alexandre pires


No dia 16 deste mês, o destaque na publicação foi para  Alexandre Pires  interpretando o Samba de
autoria de Martinho da Vila,  "Café com Leite",  em ótimo dueto com o autor num telão ao fundo.
O vídeo, o arranjo e a interpretação de Alexandre, revelaram a nova faceta  do músico e o
seu mais recente trabalho, o DNA Musical,  apresentado ao público em Porto Alegre, a
capital do Estado em que resido, nesta semana. Nesta postagem mais uma vez eu
o trago ao Blog,  agora em um ótimo arranjo e interpretação, para um clássico
antológico de nossa Música:  "Pérola Negra",  composição de Luiz Melodia
cuja letra nos revela os versos de um  rapaz de 22 anos, negro,  lá do
Morro de São Carlos,  no Estácio,  bairro da Zona Norte do Rio de
Janeiro, que na década de '20 deu à luz ao Samba. O que nós
vamos ouvir? Uma poética crônica sobre o amor, de 1973.




Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 


video


Tente passar pelo que estou passando
Tente apagar este teu novo engano
Tente me amar pois estou de amando
Baby te amo nem sei se te amo

Tente usar a roupa que eu estou usando
Tente esquecer em que ano estamos
Arranje algum sangue escreva num pano
Pérola Negra te amo te amo

Rasgue a camisa enxugue meu pranto
Como prova de amor mostre teu novo canto
Escreva num quadro em palavras gigantes
Pérola Negra te amo te amo

Tente entender tudo mais sobre o sexo
Peça meu livro querendo eu te empresto
Se intere da coisa sem haver engano
Baby te amo nem sei se te amo


luis melodia



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Um Sonho A Dois, com Roberta Sá, Pedro Mariano e Os Cariocas

pedro mariano e roberta sá


Um Sonho A Dois. Uma canção de amor lançada em 1986, traz em sua letra o encanto e sonhos que
esse sentimento desperta. Foi e ainda é um grande sucesso de seus autores, Paulo Massadas
e Michael Sullivan,  tendo várias regravações feitas por  grandes nomes da nossa Música.
Lembro que quando atuava nos palcos com meu trio Coisas do Brasil, ou em diversas
comemorações com meu quinteto  Um Toque Diferente,  sempre foi muito pedida
pelo público presente por muitos anos. Considero-a um clássico dos anos 80.

Escolhi para ilustrar a publicação, trazendo de volta ao blog a intérprete que
é uma das vozes preferidas por mim, isso além de seu talento e domínio de palco:
Roberta Sá. Mas ela não está sozinha, pois tem como convidado Pedro Mariano,  filho
da cantora  Elis Regina e do músico César Camargo Mariano.  A dupla conta ainda com Os
Cariocas, grupo vocal criado por Ismael Neto no ano de 1942, um dos mais antigos do Brasil, e que
tem como  repertório  as belas composições da  Música Brasileira.  Apresentação feita,  vamos ao clipe




Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 


video


Ele sabe o jeito de agradar um sorriso brincando no olhar
Me fascina com seu jeito de ser ele é tudo enfim que eu preciso ter
Ele passa e o tempo faz parar quando fala é música no ar
Me conquista querendo não querer ele é tudo enfim que eu preciso ter

Quando bater na porta deixa entrar pra te ganhar de norte a sul
No mundo da lua tudo vai ficar descobri que o amor é azul
Quando a gente gosta o amor é um caso sério
E tem lá os seus mistérios pra contar
Mas você divide na metade um desejo no olhar

Quando a gente gosta vale a pena qualquer coisa
Vale tudo num cantinho pra ficar
Um sorriso pra te convencer na luz do luar

Ela sabe que brinca nos meus sonhos
Todo o tempo nos versos que componho
Ela sabe que estou em suas mãos
Ela é tudo que faz bem ao coração

Quando bater na porta deixa entrar pra te ganhar de norte a sul
No mundo da lua tudo vai ficar descobri que o amor é azul
Quando a gente gosta o amor é um caso sério
E tem lá os seus mistérios pra contar
Mais você divide na metade um desejo no olhar

Quando a gente gosta vale a pena qualquer coisa
Vale tudo num cantinho pra ficar
Um sorriso pra te convencer na luz do luar


michael sullivan / paulo massadas



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

domingo, 16 de abril de 2017

Café com Leite, com Alexandre Pires e Martinho da Vila

alexandre pires, em duo com martinho da vila


Foi assim que tudo começou. O ano era 1989, quando ele e seu irmão Fernando convidaram o primo
Juliano a fazer parte do grupo de pagode que pretendiam criar. Aí reuniram mais alguns amigos
da cidade de Uberlândia, Estado de Minas Gerais, e começaram a montar o repertório para
os ensaios. O nome escolhido para e banda foi "Só Pra Contrariar", uma homenagem
ao grupo  "Fundo de Quintal"  e seu grande sucesso, o samba Só pra Contrariar.
Seu nome? Alexandre Pires do Nascimento, nascido em Uberlândia, Estado
de Minas Gerais, em oito de Janeiro de 1976.  Instrumentista, cantor e
compositor, filho de músicos, é tido como um dos maiores senão
o maior intérprete da América Latina por seu enorme talento.

Lançaram o  primeiro álbum em 1993,  e depois de gravar o
sétimo disco com o SPC,  Alexandre  seguiu para a carreira solo.
Mas, como não conseguia acompanhar os compromissos com a banda,
deixou o grupo no ano de 2002  depois de uma apresentação em Nova York
para mais de 14 mil pessoas.  No ano seguinte,  comemoração da Independência
Hispânica nos Estados Unidos,  cantou "Garota de Ipanema" para o então presidente
George W. Bush, que o convidou para o evento, tornando-se mundialmente conhecido. Eu
escolhi para ilustrar a publicação, um vídeo que revela seu projeto para uma mudança de estilo
no cenário musical, projeto que tem por nome  DNA Musical, regravando grandes sucessos da MPB.

Assim vamos apreciar o vídeo com a  Música  de autoria de  Martinho da Vila e Zé Catimba,  cujo título é

"Café com Leite"




Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 


video


Se encontraram e se cruzaram nosso olhar e nosso jeito
As salivas misturadas num sabor mais que perfeito
Nossos corpos se entregando como boca no sorvete
Estamos bem misturados tal e qual café com leite

Café com leite somos nós café com leite
Café com leite é de Deus café com leite

Vem da teta e vem do grão somos nós café com leite
Vem do balde e do pilão somos nós café com leite
Com biscoito ou com pão vou tomar café com leite
Dessa miscigenação só vai dar café com leite

"A" em pó ou condensado bem gordinho ou desnatado
Com expresso ou com solúvel carioca bem coado
Vou levar pra quem me ama de bandeja lá na cama


martinho da vila / zé catimba



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Alvorada Voraz, com Paulo Ricardo e Revoluções Por Minuto

paulo ricardo - um dos criadores da rpm


Foi na cidade de São Paulo, capital do Estado, que em 1980 Paulo Ricardo conheceu Luis Schiavon.
Luis morava em frente a casa de Paulo, que resolveu visita-lo quando acontecia um ensaio e
uma dúvida pairava no ar: se a letra seria em inglês ou português. Ao ser pedida a sua
opinião, Paulo deu seu voto pela letra em português,  e nasceu a amizade entre
os dois  ao conversarem muito sobre  Música.  Luis, pianista clássico que
estava em busca de um caminho mais popular com dificuldades em
encontrar uma parceria, e Paulo no início de sua carreira de
crítico musical, aceitou o convite para fazer parte da
banda de jazz-rock  "Áurea", que após 3 anos
de ensaio sem apresentações, acabou.

Paulo partiu para a  Europa e escrevia
sobre as novidades musicais, para uma mídia
escrita aqui no Brasil e Luis,  interessou-se por uma
nova tecnologia, a dos sintetizadores.  As opções divergiam
mas não impediram a  criação  de uma banda pelos dois,  no ano de
1983, quando a dupla voltou aos trabalhos em  São Paulo.  Juntos criaram
os primeiros sucessos: "Olhar 43", "A Cruz e a Espada", e a que daria nome para
a banda que ali então nascia: "Revoluções Por Minuto", ficando conhecida como RPM.
No Brasil foi a de maior popularidade nos anos de 1984 a 1987,  tida como a melhor sucedida
na história da Música Brasileira,  vendendo mais de cinco milhões de discos.  Agora, sobre o vídeo.

O vídeo e minha opinião:

Ilustrando a publicação,  escolhi  aquela que foi um grande sucesso nos anos 80:  "Alvorada Voraz".
A letra composta há 31 anos é atualíssima. Lançada em 1986, retrata a marginalidade que nos
incute o medo por sua violência  tornando-nos seus reféns pela impunidade, e o
que creio ser bem mais grave: somos reféns de políticos e empresas que
tem como ideal  a desumana corrupção,  lesando  o povo brasileiro
na educação, saúde,  em tudo mais em que se possa pensar,
em benefício próprio.  E como denuncia a letra, com
nosso consentimento, nosso conformismo. É
uma visão crítica da violência e grande
hipocrisia da vil politicagem atual.




Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 


video

Na virada do século alvorada voraz
Nos aguardam exércitos que nos guardam da paz
Que paz !!!

A face do mal um grito de horror
Um fato normal um êxtase de dor
E medo de tudo medo do nada
Medo da vida assim engatilhada

Fardas e força forjam as armações
Farsas e jogos armas de fogo
Um corte exposto em seu rosto amor
E eu nesse mundo assim vendo esse filme passar
Assistindo ao fim vendo meu tempo passar

Apolipticamente como um clip de ação
Um clic seco um revólver aponta em meu coração
O caso Sudan Maluf Lalau Barbalho Sarney
E quem paga o jornal é a propaganda
Porque nesse pais é o dinheiro quem manda

E juram que não corrompem ninguém
Agem assim pro seu próprio bem
São tão legais foras da lei pensam que sabem de tudo
O que eu não sei eu sei

Nesse mundo assim vendo esse filme passar
Assistindo ao fim vendo o meu tempo passar

luis schiavon / paulo pagni / paulo ricardo



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google


segunda-feira, 10 de abril de 2017

Eu e Meu Irmão, com Renato Teixeira e Sérgio Reis

renato teixeira e sérgio reis


Para o primeiro dia útil dessa semana de abril, destaco a amizade entre irmãos, sejam eles de sangue,
o que penso ser o mais belo tipo de amizade em uma família, ou por afinidade, que é aquela sem
explicação e que nos leva a  "adotar"  um amigo real  ou até virtual,  como irmãos. O vídeo
escolhido para ilustrar a postagem, traz dois grandes ícones da Música Regional do
Brasil: Renato Teixeira e Sérgio Reis,  com Renato interpretando a canção de
sua autoria  "Eu e Meu Irmão",  bela homenagem ao amigo  Sérgio Reis.




Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 


video


Eu e meu irmão desde muito cedo
Aprendemos a gostar de ouvir viola
Era só cantar em dupla era só pensar nas duplas
Era só sim poder cantar no circo

Eu e meu irmão viola e violão
Fomos juntos caminhando nessa estrada
Muita sorte e muito chão muita festa de peão
Muita sorte e a primeira gravação

Hoje a gente canta e faz sucesso
E isso para nós é muito bom
Nós somos uma dupla caipira
Nossa voz vem lá do coração

Eu e meu irmão viola e violão
Fomos juntos caminhando nessa estrada
Muita festa de peão muita história e muito chão
Muita sorte e a primeira gravação

Hoje a gente canta e faz sucesso
E isso para nós é muito bom
Nós somos uma dupla caipira
Nossa voz vem lá do coração


renato teixeira



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Dia Clarear, Marcelo Camelo



Na publicação de hoje, trago um trio singular, formado por músicos de origem brasileira e o terceiro de
origem portuguesa. Jovens mas, tarimbados em rock alternativo, mpb, bossa nova e também em
outros estilos, como verão no vídeo que ilustra esta postagem: uma baladinha lenta e bela.
Apresentarei seus componentes, um já bem conhecido, e o projeto que a originou. O
seu início é recente,  foi em 06 de maio de 2014,  na cidade do  Rio de Janeiro.

Marcelo Camelo.  Nascido na cidade do Rio de Janeiro em 04 de Fevereiro de
1978, é um multi-instrumentista, compositor, cantor e produtor musical.  Foi vocalista,
guitarrista (e também um dos fundadores), na banda de rock alternativo a  "
Los Hermanos",

Malu Magalhães. Nasceu na capital do Estado de São Paulo no dia 29 de Agosto de 1992, é
também instrumentista, compositora e cantora, convidada por  Marcelo  para participar do álbum
solo "
Sou", em um dueto na composição "Janta". É a segunda integrante na formação da banda musical.

Fred Ferreira.  Natural de Portugal,  percursionista e baterista  de várias bandas portuguesas, é
o terceiro integrante do  grupo de velhos amigos na formação da banda.  Essencial para o
o balanço bem brasileiro e singular,  no conjunto do projeto em elaboração da banda.
 


Escrevi e escrevi mas, deixei para o final o nome com que foi batizado o projeto, Banda do Mar, pois ao
enaltecer em suas composições os temas amor e mar, nada mais apropriado.  E assim entre jams
session e muitas  trocas de ideias à beira-mar,  iniciaram os trabalhos  nas primeiras faixas
para um álbum. Escolhi para publicar o trabalho do trio, a composição de Marcelo que
tem por título  Dia Clarear,  que como acima mencionei é uma agradável balada.




Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 


video


Onda da manhã eu vi você sair do mar
E todo sentimento que rodeia
Foi a luz do sol ou foi o vento que soprou
O macio dessa areia

Eu sei lá se eu vir você mais tarde
Eu vou até o dia clarear
Sei não se eu vir você mais tarde
Eu vou até o dia clarear vou até o dia clarear

Se você jurar eu posso até te acostumar
Numa vida mais à toa
É só você querer que tudo pode acontecer
No amor de outra pessoa
Base de um descanso milenar

Eu sei lá se eu vir você mais tarde
Eu vou até o dia clarear
Sei não se eu vir você mais tarde
Eu vou até o dia clarear vou até o dia clarear


marcelo camelo 



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

terça-feira, 4 de abril de 2017

Disritmia, com Quinteto Casuarina

quinteto casuarina


Na publicação de hoje, o destaque é Casuarina. Mas não a casuarina que tenho em meu jardim, também
conhecida como "pinheiro australiano", que em muitos Países é considerado como uma espécie
arbórea invasora, e que pode alcançar altura de trinta e cinco metros. Mas há semelhança.

A cidade,  Rio de Janeiro e o bairro,  Humaitá.  Foi no ano de 2001 que,  alguns rapazes reuniam-se para
ensaiarem as composições de sucesso de nosso  universo musical.  A casa por eles usada para
ensaio ficava na Rua Casuarina, e eles jamais pensaram no rumo que suas apresentações
pelo bairro iriam tomar. Ao contrário do pinheiro de lento crescimento, o talento e a
simpatia  dos rapazes  levou-os com rapidez  ao sucesso,  não só no Brasil
em muitas e muitas cidades, também em vários Países desse nosso
maravilhoso planeta azul. Na escolha do nome para divulgar
sua Arte,  prestaram homenagem à rua em que tudo
teve início: Casuarina, o nome do quinteto.

A semelhança acima mencionada:  nascido
sem pretensões  de alcançar  o renome  a que hoje
faz jus, o  Quinteto Casuarina  cresceu rápido e o Samba do
nosso  Brasil foi levado à alturas sequer sonhadas em seu início, ao
superar em muito os  trinta e cinco metros do  "pinheiro australiano".   Mas
quanto ao fato da homônima casuarina  ser considerada uma "invasora"  em alguns
Países, a Casuarina quinteto também é uma "invasora", pois levou o ritmo que é o símbolo
musical brasileiro, o Samba, para terras distantes, divulgando em seus palcos letras repletas de
imagens  embaladas em melodias inspiradoras.  Do Humaitá para a Lapa,  da Lapa para lotar a Fundição
Progresso, espaço com capacidade para cerca de  cinco mil pessoas,  e da Fundição, finalmente
para o mundo.  Foi uma  "invasão"  em poucos anos  de existência,  do Quinteto Casuarina,

devido ao bom gosto na escolha do repertório,  nas novas roupagens e resgate de
clássicos Sambas e, como acima mencionei, na simpatia e profissionalismo
dos integrantes do grupo. Tenho certeza que a postagem agradará.




Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 


video


Eu quero me esconder debaixo desta tua saia prá fugir do mundo
Pretendo também me embrenhar no emaranhado destes teus cabelos
Preciso transfundir teu sangue pro meu coração que é tão vagabundo
Me deixe te trazer num dengo prá num cafuné fazer os meus apelos
Me deixe te trazer num dengo prá num cafuné fazer os meus apelos

Eu quero ser exorcizado pela água benta deste olhar infindo
Que bom é ser fotografado mas pela retinas destes olhos lindos
Me deixe hipnotizado prá acabar de vez com essa disritmia
Vem logo vem curar teu nêgo que chegou de porre lá da boemia
Vem logo vem curar teu nêgo que chegou de porre lá da boemia


martinho da vila



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

sábado, 1 de abril de 2017

De Janeiro a Janeiro, com Roberta Campos e Nando Reis

nando reis e roberta campos


Foi na cidade interiorana de Paraopeba Estado de Minas Gerais, que em 29 de Dezembro de 1977
nasceu Roberta Cristina Campos Martins Sant’Ana. Cantora e compositora, o interesse pela
Música nasceu em sua infância, influenciada por um tio apaixonado pelos acordes e
letras do nosso universo musical. Essa influência tornou-se muito importante
ao ganhar um violão de presente aos 11 anos. Em pouco tempo tinha
absoluto domínio do instrumento e iniciou as apresentações
nos eventos escolares, o que levou-a a criar no ano
de 1995, seu primeiro grupo,  o "Alpha Band".

Quatro anos depois uma importante guinada
em sua vida: abandonou a escola de canto, deixou o
trabalho e criou outro grupo,  o “Pop Troti” em Sete Lagoas,
Minas Gerais,  fazendo várias apresentações  na região.  Porém,  ela
queria ir mais longe.  Largou o grupo em 2003, e seguiu para São Paulo, onde
dedicou-se inteiramente à Música. Podemos dizer que foi lá que sua carreira iniciou.
Seu talento levou-a a fazer parte do rol das melhores  Artistas  da Música Popular Brasileira.




Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 


video


Não consigo olhar no fundo dos seus olhos e enxergar as coisas que me deixam no ar deixam no ar
As várias fases e estações que me levam com o vento e o pensamento bem devagar
Outra vez eu tive que fugir eu tive que correr pra não me entregar
As loucuras que me levam até você me fazem esquecer que eu não posso chorar

Olhe bem no fundo dos meus olhos e sinta a emoção que nascerá quando você me olhar
O universo conspira a nosso favor a consequência do destino é o amor pra sempre vou te amar
Mas talvez você não entenda essa coisa de fazer o mundo acreditar
Que meu amor não será passageiro te amarei de Janeiro a Janeiro até o mundo acabar

Até o mundo acabar até o mundo acabar até o mundo acabar

Mas talvez você não entenda essa coisa de fazer o mundo acreditar
Que meu amor não será passageiro te amarei de Janeiro a Janeiro até o mundo acabar


Até o mundo acabar até o mundo acabar até o mundo acabar

De Janeiro a Janeiro

roberta campos



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

quarta-feira, 29 de março de 2017

Mutirão de Amor, Roberta Sá

roberta sá


Março de 2017 está terminando. Quase.  Mas como essa é a última publicação em meu Blog, escolhi
um Samba, ritmo símbolo do nosso Pais, mais uma vez na voz de Roberta Sá, uma grande
sambista da atualidade. A postagem traz um quarteto de ótimos músicos, sendo
três compositores e instrumentista e Roberta, aqui a voz desse trio.
A composição escolhida é "Mutirão de Amor", autoria de
Jorge Aragão, Zeca Pagodinho, e Sombrinha.

Três já são bem conhecidos e tudo o que eu
aqui escrever sobre será redundante. Um breve resumo
sobre o quarto elemento, "Sombrinha", eu agora farei. Conheçam-no.

Sombrinha, como é conhecido Montgomery Ferreira Nunis, nasceu em 30 de Agosto de 1959, em São
Vicente,  cidade litorânea do Estado de São Paulo  detentora do título de  "A Primeira Vila Brasileira".
Seu interesse pela Música veio ainda na infância e aos 14 anos intensificou-se, ao ganhar do Pai um
violão de 7 cordas.  Autodidata em instrumentos de corda, além de compositor é cantor, bandolinista,
bamjoista, cavaquinista e violonista,  que já aos 16 anos  apresentava-se em casas noturnas. No ano
de 1977, aos 18 anos gravou com os Originais do Samba  e  Baden Powell,  profissionalmente. É um
dos fundadores,  junto com   Almir Guinéto,  Jorge Aragão, Bira, Ubirani, Sereno e Neoci, o  Fundo de
Quintal, na cidade do  Rio de Janeiro em 1979.  Autor de muitos sucessos na voz de grandes nomes
da Música Brasileira,  é um colecionador  de vários "Prêmio Sharp" na Música, e nas composições.




Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 


video


Cada um de nós deve saber se impor
E até lutar em prol do bem estar geral
Afastar da mente todo mal pensar
Saber se respeitar
Se unir pra se encontrar

Por isso vim propor um mutirão de amor
Pra que as barreiras se desfaçam na poeira e seja o fim
O fim do mal pela raiz
Nascendo o bem que eu sempre quis
É o que convém pra gente ser feliz

Cantar sempre que for possível
Não ligar pros malvados
Perdoar os pecados
Saber que nem tudo é perdido
Se manter respeitado pra poder ser amado


sombrinha / zeca pagodinho / jorge aragão



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

domingo, 26 de março de 2017

Pronto! Você Criou Música!

a clave de sol


Imagine uma linha de tempo, e a duração da mesma, 
um determinado número de segundos, minutos.

Agora imagine o silêncio, dentro desse espaço de tempo.
Acrescente um som ao silêncio. Acrescente mais um,
quer seja igual ou diferente, não importa.
E o repita quantas vezes e como quiser. Pronto!
Você criou um conjunto de silêncios e de sons ordenados dentro
de um espaço do tempo, ou seja, você criou música!





Música, palavra de origem grega,
significa "A Arte das Musas", está enraizada em
todas as civilizações conhecidas, com manifestações
próprias à cultura de seus povos.
Embora nem sempre considerada uma forma de arte,
ela é criada com esse objetivo, conseguindo seu lugar próprio
nas religiões, nas comemorações festivas e nos funerais.
Em cada segmento e manifestação cultural de
uma sociedade, sempre encontramos a
Música, que caracterizará a ocasião.

Conhecida desde os primórdios da civilização,
é provável que tenha nascido da observação dos
sons da natureza, sons esses que despertaram
no homem a vontade de criar e organizar seus próprios sons,
sua própria músicalidade. Podemos dizer que,
na evolução da cultura humana a história da Música
confunde-se com o desenvolvimento da inteligência do homem.

Sendo assim, é muito difícil e impreciso definir Música,
pois a variedade é tão grande que, um único conceito que
a classifique em um termo se torna inviável.
Sendo impreciso definir o termo em toda sua plenitude, e
mesmo que fosse possível fazê-lo pois como a Música
é a Arte de manipular sons, organizando-os em um
espaço de tempo, a definição se torna obsoleta porque
o tempo se modifica, evolui sempre,
sendo essa característica emocional e física.

Mas definições e conceitos à parte,
a Música sempre teve muita importância na evolução
histórica da humanidade, pois além de agradar
nossos sentidos e emoções, ela se presta a outros usos.
Na Grécia, a flauta era usada para
atenuar dores ciáticas e a gota, pasmem,
efeitos benéficos hoje comprovados cientificamente.
Além de desenvolver nossas habilidades cognitivas,
a Música é ótima para nossa saúde física e psicológica,
trazendo alívio para a depressão e o stress,
melhorando a auto-estima, a expressão corporal,
emocional, e até nossa criatividade.

Comparando a Música com as outras Artes,
vemos que além de completá-las a Música tem
um grande poder de atuação sobre o ser humano,
dado à sua grande influência biológica e psíquica,
lembrando que, em nosso próprio organismo
reside a forma primeira da espontaneidade musical,
as cordas vocais, o mais perfeito instrumento musical.




Qual a origem dos nomes das notas musicais?

guido d'arezzo


Foi durante a Idade Média que o monge
beneditino italiano Guido d'Arezzo, resolveu dar
nome às notas musicais. Estudiosos contam
que ele usou a primeira sílaba de cada hemistíquio
(metade de um verso), do Hino à São João Batista,
escrito em latim. Logo essa denominação passou a
vigorar nos países de cultura latina:
UT, RÉ, MI, FA, SOL, LA, SI
O SI é formado pelo S de Sancte e o J de Johannes
(o J em latim se pronuncia I). Mais tarde, os cantores italianos
substituíram UT por DÓ, bem mais fácil de pronunciar.



fontes
imagens: google - texto: origem não mencionada, adaptado por carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google